close menu

Mês: novembro 2021

9 de novembro de 2021

7 dicas para abrir uma loja: aprenda com erros do varejo

Existe um ditado que diz: “Os inteligentes aprendem com os próprios erros, mas os sábios aprendem com os erros dos outros”.

Ele pode ser aplicado em vários cenários, inclusive no das redes de varejo. Por utilizar o feeling de mercado nas estratégias de expansão, é muito comum que profissionais dessas empresas cometam erros parecidos na hora de escolher onde abrir novas unidades.

Para evitar esse tipo de problema, reunimos algumas dicas para abrir uma loja, baseadas em como evitar os erros corriqueiros do setor varejista.

Mais do que apontar as falhas, o objetivo aqui é explicar a maneira mais apropriada de resolver as situações.

Todos os insights da lista se baseiam em uma única ideia: analisar o entorno do ponto ou a região desejada. A análise ajudará você a não cometer esses deslizes ou corrigi-los, caso seja necessário.

1. Utilizar feeling ao invés de dados

Muitos profissionais de expansão ou até mesmo os donos de grandes redes utilizam a própria experiência como guia para inaugurações. O problema é que, como não há nenhum dado de mercado que embase essas decisões, as chances de falhar são altas.

Uma das maneiras mais eficientes de contornar este erro é entender os detalhes sociodemográficos dos arredores do local escolhido para expandir. Avaliar as pessoas que moram e trabalham naquela região, qual a renda, faixa etária, classe social etc.

É preciso também mapear a presença de todos os concorrentes na região, além de identificar polos geradores de tráfego, que são responsáveis por atrair fluxo de pessoas para um determinado local (agências bancárias, estações de metrô e trem, escolas e universidades, entre outros).

Percebe como a análise com base em dados é aprofundada? Uma dica bastante interessante para expansão é identificar as características de entorno de suas unidades mais rentáveis e tentar encontrar regiões com perfil parecido.

2. Seguir um concorrente às cegas

Alguns varejistas adotam uma prática bastante arriscada: expandir nas mesmas regiões onde seus grandes concorrentes já operam.

Redes menores (mas não só elas) entendem que, se as empresas referência de seu segmento estão em uma região, é porque há demanda suficiente, o local é rentável, e as chances de sucesso são altas. E em parte elas estão certas.

Antes de expandir para um determinado local, um grande player provavelmente fez diversos estudos de mercado. Mas será que as características necessárias para o sucesso dele também servem para a sua empresa?

Mesmo que o público-alvo seja o mesmo, pode ser que a área de influência da loja dele englobe a imensa parte da clientela disponível na região. Por conta disso, você dificilmente conseguirá atrair clientes para sua unidade.

Talvez seja mais vantajoso pesquisar uma região com uma densidade de público menor, mas que se adeque ao perfil da sua loja, para que você tenha oportunidade de conquista-los, não é verdade?

DICA EXTRA: Confira essas 3 dicas fundamentais para a expansão de redes de fast food, que servem também para qualquer negócio com muitas unidades.

3. Adquirir um imóvel sem antes realizar o trabalho de campo

Uma das etapas mais importantes no processo de expansão é o trabalho de campo para poder analisar alguns fatores que, se negligenciados, podem pôr tudo a perder.

homem-decepcionado

Fluxo de carros

A rua em que o ponto está localizado é de mão única? Se for, é importante que a loja esteja do lado esquerdo de quem passa, ou seja, do lado do motorista.

Qual a velocidade de circulação dos veículos na rua onde você está pensando abrir uma nova loja? O fluxo rápido pode fazer com que sua loja nem seja notada.

Verifique as regras de zoneamento do bairro para saber se a estrutura pode ser modificada de acordo com suas necessidades. É possível construir um estacionamento na frente? É permitida carga e descarga de mercadoria em frente à loja? Situações do tipo precisam ser consultadas com os órgãos públicos.

Movimentação no entorno

Já imaginou abrir uma loja de perfumes em uma avenida e só depois descobrir que toda quarta-feira acontece uma feira de rua bem em frente? E o pior, a barraca de peixe fresco ficar bem na porta? Isso certamente espantaria a clientela.

Descubra se a vista do ponto não é afetada por uma parada de ônibus cheio de pessoas ou por táxis estacionados bem em frente o dia inteiro.

Os clientes da sua futura loja vão chegar até você a pé? Há faixa de pedestres e semáforo nas proximidades? Lembre-se de que a facilidade de acesso é fundamental para atrair um fluxo satisfatório de pessoas.

Condições climáticas

A rua em que você pretende inaugurar uma unidade sofre com questões de alagamento? Já imaginou perder todo o produto por conta de uma chuva forte? Ou pior, deixar de vender pois os clientes ficaram impossibilitados de chegar até você, por conta de uma enchente no local? Isso pode ser um problemão.

Outro fator climático que pode influenciar no desempenho da nova unidade é a posição do sol. Em alguns locais, a vitrine pode ficar muito tempo ofuscada por conta do brilho da luz, que pode até inutilizar a mercadoria exposta.

4. Procurar por pontos comerciais ao invés de trechos de rua

Você pode achar bons pontos comerciais, mas dificilmente encontrará o ponto ideal disponível para locação.

Geralmente, os pontos de esquina são os mais valiosos, pois possuem duas vitrines e mais destaque, visualmente falando. Mas é cada vez mais difícil encontrar um destes disponível para alugar (e com um preço viável).

Por isso, é muito mais proveitoso encontrar um trecho de rua atrativo, e pesquisar quais são as opções de pontos disponíveis dentro do perímetro.

Além de te dar um poder de escolha maior, esse tipo de avaliação evita a frustração desnecessária da busca pelo local perfeito.

Vale lembrar também que não existe ponto micado, isso é um mito! O que acontece é que um local pode não conter em seu entorno o público-alvo necessário.

Como já entendemos, as necessidades de um varejo não são as necessidades de outro, um ponto pode ser ruim para o varejo X e bom para o Y.

O vídeo abaixo conta um pouco mais sobre o assunto: https://www.youtube.com/embed/bP9HR9zoXV0

5. Não calcular o tamanho ideal para a loja

Usarei como exemplo uma rede de supermercados. Ela encontra uma região com perfil ideal para a abertura de uma nova unidade, mas se esquece de identificar as necessidades e hábitos de compra do público em determinado bairro.

Pode acontecer de as pessoas por lá darem preferência a minimercados em vez de grandes comércios, pois fazerem compras reduzidas ao decorrer do mês,

Se o supermercado não entende esse hábito e abre uma loja gigantesca achando que, quanto mais produtos e opções mais ele vai atrair os clientes, pode acabar tendo um prejuízo incalculável.

Percebe a importância de uma loja com tamanho compatível com os hábitos de compra da população do entorno? Saiba como descobrir o tamanho de loja ideal para sua rede.

6. Ignorar a área de influência das unidades

É o clássico exemplo de que, às vezes, menos é mais. Alguns varejistas expandem em um município de pequeno porte e a loja começa a ficar muito rentável, mas tem um problema: a sua área de influência não capta toda a cidade.

Para resolver isso, o varejista decide inaugurar outra loja do outro lado da cidade. O erro nesse caso é esquecer de medir a porcentagem da população que está inclusa na área de influência da primeira unidade.

Pode acontecer de a loja 1 já captar 70% dos consumidores do município. Isso significa que, se tudo der certo, a loja 2 irá alcançar apenas 30% da população – e esse valor talvez não pague o custo da unidade.

Nesse caso, o melhor é trabalhar em uma estratégia para atrair mais clientes para a loja 1.

Para calcular a área de influência é preciso identificar qual o deslocamento (em tempo ou metros) máximo de um cliente para ir até o seu estabelecimento.

7. Cruze todas as dicas para abrir uma loja e obtenha bons insights

Em uma estratégia de expansão, confiar em apenas um dado é muito arriscado, seja ele qual for. É necessário cruzar os dados sociodemográficos com o trabalho de campo, presença de concorrência, polos geradores de tráfego etc.

cruzando-dados

Você pode descobrir que o quarteirão X é o melhor do bairro para o seu negócio. Porém, ao visitar o local, pode perceber que a acessibilidade é ruim, que o valor imobiliário é incompatível, e muitas outras surpresas.

Ao seguir as dicas para abrir uma loja, tenho certeza que a expansão do seu negócio se dará de maneira muito mais ágil e certeira, trazendo bons resultados e evitando dores de cabeça futuras.

Fonte: https://www.geofusion.com.br/blog/dicas-para-abrir-uma-loja/

5 de novembro de 2021

Como vender mais e melhor no varejo? 7 estratégias valiosas

Descobrir como vender mais e melhor no varejo é uma questão que muitos gestores e empresários se fazem todos os dias. Afinal, a concorrência é cada vez maior, e quem não descobre a solução para essa dúvida acaba ficando para trás.

A resposta pode não ser tão simples, afinal, há diversas maneiras de atingir este objetivo. Um bom exemplo é o investimento na melhoria da qualidade de atendimento, como forma de garantir uma boa experiência de compra para os consumidores e, com isso, aumentar as chances de fidelização.

A Pesquisa de Tendências Digitais para o Varejo em 2019 constatou que, para 89% dos 3 mil entrevistados, uma experiência positiva de compra online é tão importante quanto bons preços. Isso tem tudo a ver com a qualidade do atendimento oferecido, e é claro que pode se estender para a realidade das lojas físicas.

Mas como falamos, este não é o único caminho. Há todo um conjunto de práticas que podem contribuir para melhorar o desempenho de uma loja. Para ampliar a sua visão sobre o assunto, neste artigo vamos dar algumas dicas de como vender mais e melhor no varejo.

7 dicas promissoras de como vender mais e melhor no varejo

Levantamos algumas estratégias de como vender mais e melhor no varejo para te ajudar a melhorar o desempenho da sua empresa, alavancando suas vendas e se destacando de seus concorrentes.

1 – Ofereça uma boa experiência de compra aos consumidores

Embora muitas coisas possam interferir nas vendas, ao tentar entender como vender mais e melhor no varejo um elemento se destaca: a experiência de compra do cliente!

Tão importante quanto oferecer produtos de qualidade a preços acessíveis é prestar um bom atendimento, garantindo que a experiência de compra do consumidor seja a melhor possível. Dessa forma, as chances de que ele volte a fazer negócios com você certamente serão maiores.

Um bom exemplo disso é o omnichannel, um modelo de atendimento unificado, que tem a experiência do cliente como centro da atenção. Para isso, os diferentes canais de atendimento são integrados, de modo a oferecer uma experiência de compra mais completa aos consumidores.

2 – Conheça bem o seu público-alvo

Conhecer o seu público-alvo é fundamental! Afinal, como vender mais e melhor no varejo se você sequer sabe para quem oferecer seus produtos?

Para oferecer uma boa experiência de compra é fundamental que você entenda quem são os seus clientes, quais são suas necessidades, onde moram, quais lugares frequentam, etc. Dessa forma você consegue personalizar seu atendimento e comunicação, estabelecendo uma relação muito mais próxima e eficiente.

Uma forma muito interessante e eficaz de se fazer isso é utilizando a tecnologia de geofencing, que permite uma coleta de dados aprimorada neste sentido.

3 – Saiba expor o seu produto

Seja na vitrine de uma loja física ou em um e-commerce, você precisa expor os seus produtos. Afinal, como vender mais e melhor no varejo se os consumidores não souberem que o produto existe?

Este item está diretamente interligado ao anterior, já que você precisa conhecer bem o seu público para entender suas necessidades e, com base nisso, montar uma vitrine atrativa, bonita e bem organizada, capaz de chamar a atenção dos consumidores.

4 – Preste atenção no estoque

Quando um consumidor visita sua loja ou acessa o seu site, e descobre que o item que ele deseja está em falta, o que ele faz? Deixa de comprar? Claro que não! Ele se dirige ao seu concorrente, é óbvio!

É por isso que você precisa monitorar o estoque e acompanhar a demanda de pedidos de perto, a fim de evitar que produtos fiquem indisponíveis. Se isso ocorrer com frequência, é bem provável que você não só perca vendas, mas também clientes.

Contar com o apoio da tecnologia neste ponto, utilizando um Sistema de Gerenciamento de Armazém (WMS) pode fazer toda a diferença, principalmente no caso de grandes empresas.

5 – Invista na capacitação de seus colaboradores

Um bom atendimento gera confiança e contribui para a fidelização do consumidor.

Não é segredo para ninguém que uma equipe bem capacitada estará muito mais apta a prestar um bom atendimento aos clientes, principalmente quando comparada a uma que nunca recebe treinamentos e age por conta própria.

Um mal atendimento prejudica na fidelização de clientes, já que quando não estão satisfeitos, eles simplesmente não voltam. Por isso, procure sempre investir em treinamentos e capacitações para as equipes de vendas e de atendimento. Dessa forma, as chances de que os clientes fiquem satisfeitos e retornem serão muito maiores.

Vale destacar que este item inclui o atendimento de ponta a ponta, afinal, atender bem não deve ser uma exclusividade do momento da venda, mas de todas as etapas, desde de o primeiro contato, até o pós-venda.

Ou seja, um cliente que teve problemas com o produto e solicita a troca ou devolução, requer ainda mais atenção, a fim de evitar que fique uma imagem negativa em relação a marca.

No vídeo abaixo você pode conferir um pouco mais sobre a importância dos treinamentos e capacitações para equipes em uma empresa:

6 – A escolha do ponto de venda faz toda a diferença para lojas físicas

Especificamente para lojas físicas, a escolha do ponto de venda é um elemento muito importante, que deve compor o planejamento estratégico da uma empresa.

Você precisa levar o seu negócio para uma região que seja frequentada pelo seu público alvo, afinal, abrir uma loja que vende casacos para esquimó em Fortaleza parece não ser um negócio muito rentável, concorda?

Portanto, se você está pensando em expandir seus negócios, saiba que para vender mais e melhor no varejo você precisará fazer uma boa análise da região onde pretende instalar a sua nova loja.

7 – Construa uma presença online

Se você quer saber como vender mais e melhor no varejo, essa dica é super válida! Há muitas lojas que possuem apenas pontos de venda físicas, ou seja, não vendem pela internet, e isso não é um problema. O problema é se limitar a apenas isso.

No mundo globalizado em que vivemos, não dá pra contar apenas com a possibilidade de um consumidor passar em frente a sua loja e entrar. Seu concorrente certamente estará fazendo mais e, com isso, você já pode imaginar para onde os consumidores irão.

Construir uma presença online faz toda a diferença. Seja por meio de um site, blog ou redes sociais, você precisa ser visto! E isso também vale para e-commerces, já que apenas abrir uma loja online e não divulgar também não irá gerar tanto resultado.

Em síntese, você precisa divulgar o seu negócio, construindo uma presença online para a sua marca ao produzir conteúdo de qualidade, que chame a atenção dos consumidores. Para isso, novamente, você precisa conhecer o seu público-alvo.

Fonte: https://maplink.global/blog/como-vender-mais-melhor-varejo/